sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Tristeza

A lágrimas invadem-me os olhos,
Como gotas de água num dia de inverno.
A tristeza possui-me, e eu já não quero acordar...
gotas salgadas lavam-me o rosto,
Lágrimas acariciam-me a cara,
Tristeza, a falta de liberdade para chorar,
Tristeza, sentimento que me invade a alma...
Tristeza, sentimento que convida a chorar.
Tristeza, pensar no passado sem ver o presente.
A tristeza, atulhado de sentimentos escondidos.
Lágrima, onde tudo está guardado...

Grifo

1 comentário:

geocrusoe disse...

grifo
julgo que és novo e escreves poemas de grande maturidade e com grandes tempestade de sentimentos.
Como disse no meu blog, sempre que quiseres falar de geologia, esclarecer dúvidas ou mesmo saber se tenho algum livro que te possa interessar, não tenhas complexo contacta, pois esta ciência para mim é mesmo de vocação e falar dela a quem quiser ouvir ou aprender é sempre um grande prazer.
Bom futuro na poesia ou na geologia, quiçá nas duas. lembra-te que ciências e sensibilidade artística podem andar de mão dadas, como provou António Gedeão.

Visitantes até ao verão de 2009

MySpace Widgets