sábado, 13 de setembro de 2008

Mundo novo

Entre os raios de sol de uma manha nublada,
Entre os sons da alvorada,
Vive a promessa de um mundo novo.
Mundo ansiado pela minha alma.

O mar diz-me adeus,
O mar que tenta sempre chegar mais alto.
Sorri para mim, felicidade sem razão
Felicidade por simplesmente viver.

Viver na felicidade de amar,
Amar tudo quanto existe.
Não ouvir a escuridão da alma.
Viver a chuva e o Sol, eles que me acalmam.

Grifo

2 comentários:

geocrusoe disse...

Gosto de descobrir que aí também residem esperanças, um poema positivo como deve ser o espírito de qualquer homem, sobretudo quando jovem.

Grifo disse...

A esperança é a ultima a morrer...

Visitantes até ao verão de 2009

MySpace Widgets