terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Trovoada de sentimentos...


A luz enfureceu!
Acompanhada do rufo de enormes tambores
Desceu á terra...
Fez o Céu chorar.
Raios de enorme poder cairam em terra,
acompanhados de terramotos de agonia!
A Chuva encheu o meu coração,
Depressa me tornei no céu.
A raiva apoderou-se de mim...
E com a luz...
morri...

Grifo

imagem do google

7 comentários:

Fábio Moura [FM] disse...

Ficaste inspirado com a trovoada que deu ontem !?
tá cool, 5*+1*=6*

geocrusoe disse...

O poema tem contradições de poeta: céus a chorar, ao tornares-te céu a raiva apoderou-se de ti?
As frases são bonitas, mas é mesmo uma tempestade de sentimentos. espero que não morras tão cedo e ao menos com luz na tua alma e feliz.

Desambientado disse...

Conflitualidade entre o nascer e o morrer, entre o aparecer e o desaparecer.

Bonito.

Grifo disse...

Para Fabio:

Não Foi com a de hoje :S

Geocrusoe:

Também espero não morrer cedo... lol

Anónimo disse...

Não percebo nada de poesia. Afinal o que morreu?

bjs

Grifo disse...

Fui eu que morri... é uma metáfora. xD

*'Borbuleta @D.C. disse...

Fantastico :)

Visitantes até ao verão de 2009

MySpace Widgets