sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Tristeza de amar


Os meus olhos vagueiam entre a escuridão de dia.
Braços de verdes ramagens acariciam-me a cara,
Dizem-me para libertar o meu sorriso interior.
Lábios feitos de nuvens beijam-me,
Dizem-me para voar.
Coração de intensa luz toca-me na alma,
Diz-me para chorar,
Diz-me para deixar ir as lágrimas de tristeza,
Lágrimas de sentimentos sem razão.
Deixar aparecer a beleza,
Deixar aparecer a a felicidade,
Deixar-me amar,
Amar a decadente humanidade.
Amando fazer desaparecer a tristeza,
Amando fazer desaparecer a maldade...

Grifo

Imagem do google

5 comentários:

geocrusoe disse...

Olha que seres humanos decadentes, mas não toda a humanidade... muitos homens são vítimas inocentes de parte da humanidade.

Grifo disse...

já deves ter reparado que os valores morais da nossa sociedade estão a cair bem lá no fundo, e por causa de desses erros (consumismo), entramos numa crise...

Graças também a outros erros, o planeta está a aquecer, as catástrofes vão ficar mais violentas, vão existir migrações humanas em massa etc.

Grifo disse...

Para não falar ao que fazem ao lixo que não conseguem reciclar no Faial...

Deixa-me envergonhado.

ematejoca disse...

A nossa sociedade é decadente e nós próprios somos decadentes, lá isso é verdade.
O seu poma damos para pensar sobre isso... e tentar fazer alguma coisa para mudar tudo um pouco.
Se o conseguimos... essa é a pergunta?

Saudacoes de um D´dorf cinzento!

Grifo disse...

pois é verdade... até eu que escrevo este texto, sou decadente... mas também me tento corrigir...

D´dorf cinzento???

Visitantes até ao verão de 2009

MySpace Widgets