quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Felicidade Laranja

A minha alma vagueia no meio do nada...
No vazio de esperança...
Perto do amor perdido,
Da felicidade estilhaçada,
Em 1000 pedaços de cor laranja,
Neles gravado o meu nome...
Neles a ilusão de perda,
perda de algo para sempre meu
Algo que não posso perder,
Algo que não me podem tirar...

Grifo

4 comentários:

geocrusoe disse...

Apesar da cor, não é muito optimista, o poema mostra confusão, desnorte e ânsia... talvez naturais a um jovem com os dilemas das escolhas do futuro profissional e sentimental.

ematejoca disse...

A "confusão, desnorte e ânsia" deste poema sao típicos do nosso jovem poeta. No peito dele habitam duas almas, que provocam toda essa série de coisas. O poema nao é pessimista --- é um poema de procura.

nanda disse...

Olá,Grifo!

Na adolescência passamos por isso, pensamos muitas vezes que o mundo desabou. Mas, quando se é jovem deve haver um pensamento positivo.

bjs

Grifo disse...

tinha inpersão de ter passado bem a mensagem positiva... mas só a esmatejoca reparou :S

Visitantes até ao verão de 2009

MySpace Widgets